GPS   ::  17 Abril 2019

Mudar de vida aos 40. Como saber se é a opção certa?

Já dizia o pensador e filósofo chinês Confúcio: – “Escolhe um trabalho de que gostes e não terás de trabalhar nem mais um dia da tua vida ”. Este é o mote que leva muitas pessoas a fazerem mudanças, às vezes radicais, nas suas carreiras.

Se fizermos as contas, aos 40 anos aproximadamente, a maioria das pessoas já trabalha na sua área há quase vinte. O que significa que têm bastante experiência. Provavelmente já conquistaram uma posição sólida, um bom salário e algumas regalias importantes.

Nestes casos, a probabilidade de progredir são muito grandes. Mas se já lhe passou pela cabeça mudar de vida é porque provavelmente já não o/a realiza a escolha que fez há vinte anos atrás, estagnou, ou descobriu com o tempo, que há algo que gostaria mais de fazer.

Há simplesmente quem procure dar um novo sentido à vida, queira ter uma rotina mais calma ou fazer algo pelo bem estar dos outros.

Perante tais pensamentos surgem muitas dúvidas. Ceder à pressão de deixar tudo na mesma ou fazer uma inversão de carreira?

Se optar pela mudança deve avaliar se tem meios e tempo para trabalhar nesse sentido.

Na prática nunca é tarde para mudar de área, agora tem de estar consciente que pode implicar alguns sacrifícios e capacidade de adaptação. Considera a hipótese de regredir na sua posição?  Imagine passar de chefe a estagiário numa nova área! Pode acontecer.

Por outro lado, continuar a fazer uma coisa que já não o realiza e para a qual já não tem muita motivação, também não é fácil.

Aspetos positivos ao mudar de área

  • A maturidade e experiência podem ajudar no sentido de investir em novas áreas, ou seja, o que lhe falta em conhecimento, sobra-lhe em experiência de vida.
  • Você ainda tem cerca de 25 anos para trabalhar nesta nova carreira, faça por escolher algo que se veja a fazer no futuro.
  • Uma boa mudança pode ter benefícios enormes na sua saúde, relacionamentos e qualidade de vida.
  • Você pode aproveitar a sua experiência atual para a nova área em que quer investir.

Aspectos negativos

  • Dificuldade em fazer mudanças, especialmente se tiver encargos financeiros altos.
  • Ter horários difíceis até conseguir estabilizar-se.
  • Continuar a ganhar dinheiro suficiente para cobrir hipotecas e despesas fixas.
  • Ter de pedir uma licença ou férias do seu trabalho atual para se preparar para uma nova carreira.
  • Inversamente, dificuldade de conciliar, se necessário, o atual emprego com estudos ou trabalho de preparação para a nova carreira.

O que há de bom em fazer uma mudança de carreira nesta fase da vida?

Aproveitar a maturidade e confiança da meia idade para dar esse passo. Se pensar em reformar-se por volta dos 65 anos, ainda tem mais de 25 anos para trabalhar. Mesmo que demore três ou quatro a fazer essa transição, terá depois muito tempo para a pôr em prática. E vai sentir-se grato por saber que, nos próximos anos, vai fazer algo que gosta.

O que torna difícil esta mudança?

Uma pessoa de 40 anos tem muitas responsabilidades, o que pode dificultar as mudanças. É provável que tenha compromissos assumidos e filhos.

As despesas normalmente são mais elevadas na faixa etária dos 35 aos 44 anos.

Pode ter de recorrer a poupanças para mudar de vida ou, em alternativa, acumular trabalho com estudos ou formações por exemplo.

Como fazer a mudança

Não se deixe desencorajar pelas dificuldades envolvidas no processo.

Tente encontrar uma solução para realizar os seus sonhos, de acordo com a sua situação atual. Pode até demorar mais do que gostaria mas pelo menos vai fazendo de acordo com o que pode.

No processo de planeamento de carreira é importante que faça uma autoavaliação para perceber se gosta do que realmente vai fazer. Os gostos mudam e, com a idade, as expetivas são outras.

Pense no que valoriza atualmente e no que gostaria de ter no futuro. Se puder ter uma experiência ou contato com a área, não hesite, vai dar-lhe muitas referências sobre o seu futuro trabalho.

Se quiser fazer uma transição rápida, procure uma nova carreira que não exija muita preparação ou instrução adicional mas que capitalize a sua experiência passada. Aproveite as competências transferíveis. Estes são talentos e habilidades que podem ser uma mais-valia na nova área.

Ao decidir entre uma carreira que requer escolaridade adicional ou uma na qual pode usar as suas habilidades transferíveis, pode escolher a última. Será seguramente uma transição mais rápida e com menor esforço.